No Dia Internacional do Jogo Responsável, o Jogo em Portugal presta justo e merecido reconhecimento a Luís Rebordão, pelo pioneirismo no tratamento desta matéria.

 

É este, resumidamente, o histórico.

O domínio “jogoresponsavel.com” foi adquirido em 2004, antes do Gambling Act de 2005 e do aparecimento da Gambling Commission UK em 2007. Em 2006 adquirimos o domínio “jogoresponsável.pt”.

O “Jogo Responsável®” é marca registada em Portugal há mais de uma década, desde 2006.

Que eu conheça, foi a primeira organização a comemorar o “Dia do Jogo Responsável” na Europa (com registos televisivos, comprovativos, na SIC) no dia da inauguração do Casino de Lisboa, 19 de abril de 2006.

Em 2007 lançámos a segunda campanha preventiva do “Problema do Jogo” no “Dia do Jogo Responsável” (19 de abril) junto dos casinos portugueses.

Em 2008 criámos o sítio na internet “jogoresponsável.pt”, divulgado em toda a imprensa nacional, em Espanha e no Brasil.

Em 2009 criámos o “Observatório do Jogo” com o objetivo de monitorizar o jogo ilegal que campeava em Portugal (existem vários registos televisivos sobre o nosso trabalho de monitorização).

Em 2009, fizemos aprovar uma petição na Assembleia da República para o controlo da entrada nos casinos (Jogadores autoexcluidos e menores de idade) em nome da proteção do consumidor.

Em 2010, no âmbito da monitorização do jogo ilegal em Portugal, revelámos, através do “Observatório”, à comunicação social, que apenas 2% dos sites jogo monitorizados eram seguros.

Em 2011, o “Jogo Responsável” foi a única entidade em Portugal que, em temas de responsabilidade social e jogo responsável, enviou um contributo para a Comissão Europeia, no âmbito do Livro Verde, em resposta uma Resolução do Parlamento Europeu. As respostas enviadas pelos vários Estados-Membros foram o escopo para as posteriores Recomendações da Comissão. Este documento está publicado no site da Comissão Europeia.

Em 2012, num período em que estava instalada a ideia de que o jogo online era mais viciante que o jogo de base territorial, o “Observatório” foi obrigado a intervir, no sentido de desmistificar essa ideia.

Em 2012, integrámos um projeto internacional (Division on Adiction, Cambridge Health Alliance a teaching affiliate of Harvard Medical School/Bwin Party) como international healthcare provider. Para tal, disponibilizámos linha de ajuda gratuita, instalações apropriadas em Lisboa (Campo de Ourique) com psicólogo assistente, estas instalações foram visitadas várias vezes pelos orgãos de comunicação social.

Em 2013, demos um contributo (19 documentos, num total de mais de 300 páginas), quando fomos convidados para integrar o Grupo de Trabalho Interminiterial de 2013, como membro não permanente.

Ainda em 2013, enviámos um contributo para o SICAD no âmbito do Plano Nacional para a Redução dos Comportamentos Aditivos e das Dependências (PNRCAD) 2013–2020.

Em 2016 criámos a “Rede de Responsabilidade Social” que integra  4 sites nucleares: “Jogo Responsável” (prevenção do jogo excessivo, focando o consumidor de produtos de jogo online); “Jogo Seguro” (a segurança e qualidade com que o produto de jogo é fornecido aos consumidores); “Observatório” (divulgação dos impactos negativos do jogo ilegal na nossa jurisdição e relevo das boas práticas dos operadores licenciados); “RG Magazine” (Divulgação das notícias sobre e evolução nacional e internacional do jogo online).

Em 2018 fomos novamente convidados pelo SRIJ para prestar contributo para a revisão do Dec.Lei 66/2015.

Em 2020 lançámos a 4ª revisão do site do “Jogo Responsável”.

Presentemente trabalhamos na 3ª revisão do site do “Jogo Seguro”.

Luís Rebordão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *