Maldita SlotMachine Versus Santa Raspadinha !

João Ferreira Director de Jogo Substituto Casino Troia

De entre conversas dentro do tema dos jogos de fortuna ou azar e a sua regulamentação, há uma dúvida que teima em surgir e gera desacordo.

Neste artigo pretende-se fazer uma demonstração de dois tipos de jogos que se dizem diferentes mas que de diferente apenas têm o nome. Será feita essa mesma demonstração, mas as conclusões ficarão a cargo do leitor.

Serão as “difamadas” slotmachines diferentes das tão “afamadas” raspadinhas?

Vejamos…

Ambas dependem apenas e só de combinações e associações de símbolos e ambas dispõem das mesmas condições de aposta e de regras semelhantes.

Resposta difícil, certo?

Enquanto que nos Casinos tradicionais existe um extremo cuidado no que ao Jogo Responsável diz respeito, cumprindo um conjunto de regras impostas pelo regulador, por seu turno vemos as ditas raspadinhas disponíveis para qualquer indivíduo, com pouco ou nenhum controlo.

Além de tudo isto e olhando para as probabilidades de sucesso do jogador, enquanto nas slotmachines temos uma oferta dos Casinos, em média na ordem dos 5,5% de hold ou seja, em cada 100€ apostados, 94,5€ são devolvidos ao cliente, no jogo da raspadinha da Santa Casa são praticados holds em média na ordem dos 30%, ou seja, em cada 100€ apostados em raspadinhas, a Santa casa apenas devolve ao cliente 70€.

Concluindo, os Casinos oferecem em média mais 24.5% de hipóteses de ganhos em relação à raspadinha.
Devemos salientar ainda que os prémios de casino são isentos de qualquer imposto enquanto que os prémios das raspadinhas estão ainda sujeitos a um imposto de 20% sobre qualquer valor de prémio superior a 5000€.

Estamos perante dois jogos iguais e em constante mutação de aproximação de temas.

Para finalizar, deixo alguns pontos de reflexão.

Sendo os dois jogos em tudo semelhantes:

– Não deveriam responder ao mesmo tipo de regulamentação?
– Não deveriam pagar o mesmo imposto?
– Ter a mesma facilidade de acesso?
– Não estará o Turismo de Portugal a perder receita que consoante as regras (se fossem aplicadas) lhe seria devida?
-Tendo em conta todas as semelhanças, não deveriam os Casinos Tradicionais e Online poder explorar estes jogos nas suas concessões?
-Não estará a Santa Casa da Misericórdia a explorar slotmachines em concorrência com os demais Casinos?

Por: João Ferreira 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *